imagesBrasília, 09 de abril – A presidente Dilma Rousseff, em reunião com uma Frente Nacional dos Prefeitos, avisou que não vai fazer corte pequeno no Orçamento de 2015. “Ela falou para a gente nos preparar e que certamente o contingenciamento será grande. Mas ela não deu números”, disse José Fortunati, prefeito de Porto Alegre, acrescentando que os participantes tentaram explanar bem a situação em que as prefeituras se encontram.

O anúncio do corte ainda não foi definido, mas a expectativa é que ele ocorra nos próximos dias após a sanção presidencial do Orçamento aprovado pelo Congresso Nacional em 17 de março. “Sabemos da situação da economia brasileira. Compreendemos isso. Todos os prefeitos, sem exceção, perderam receita desde o início do ano”, disse Fortunati.

De acordo com ele, a presidente e os ministros presentes Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento), Aloizio Mercadante (Casa Civil) e o vice-presidente Michel Temer, conversaram por 2 horas e 40 minutos. Entre as principais preocupações apresentadas a Dilma, segundo o prefeito gaúcho, está a questão da criação de uma nova forma de financiamento para a saúde. “Não falamos de qual seria essa nova fonte de financiamento para a saúde. Não apresentamos nenhuma solução, mas temos a garantia da presidente Dilma que vamos sentarmos para buscar soluções, mas não soluções mágicas, porque elas não existem”, acrescentou.