20160410224201373617oBrasília, 14 de abril – A menos de 20 dias do fim do período de entrega da declaração do Imposto de Renda (IR), o contribuinte que está com preguiça de concluir esse processo tem duas opções: continuar enrolando e deixar para entregar o formulário de contas na última hora, arcando com as consequências indesejáveis disso; ou juntar logo tudo o que falta e concluir a tarefa, com calma e muita atenção.

O prazo para a entrega da declaração é 23h59 do próximo dia 29. Até o fim da semana passada, o Fisco havia recebido apenas cerca de 30% dos formulários, considerando a expectativa de que 28,5 milhões de brasileiros devem prestar contas ao Leão sobre rendimentos de 2015. Ainda faltam, portanto, 19,95 milhões de declarações.

Quanto mais empurrar com a barriga e retardar o envio, maior a pressão para o contribuinte em várias frentes. Aumentam os riscos de preenchimento incorreto; de cair na malha fina da Receita Federal; de esquecer gastos; de perder o prazo e pagar multas; de esquecer documentos com informações fundamentais exigidas pelo programa; de não ter tempo para tirar dúvidas; de enfrentar congestionamento na rede on-line para enviar a declaração; e de ir para o fim da fila do recebimento da restituição de IR.

“A fama do brasileiro é de deixar, sempre, para a última hora”, comenta a advogada tributarista Vânia Yoshio Miki. No escritório de advocacia Leite, Tosto e Barros, Vânia e equipe se preparam para infindáveis plantões de preenchimento de declarações de IR de clientes, como fazem todos os anos quando o fim de abril se aproxima.